Ferreira Gullar, que faz 85 anos neste 10 de setembro, tem uma obra de muitos poemas, crônicas e peças teatrais, mas poucas músicas. Das dez apresentadas nesta playlist, três foram letras escritas especialmente para ganhar melodia nas mãos de compositores. Solução de vida, que tem como subtítulo “Molejo dialético”, foi feita para Paulinho da Viola musicar, assim como Contigo, com Raimundo Fagner. Onde andarás foi escrita a pedido de Maria Bethânia, que queria uma letra de fossa. Ela gravou só depois de Caetano Veloso, autor da melodia (e mais tarde vieram Marisa Monte e Adriana Calcanhotto). Já em O trenzinho do caipira, Gullar, que acha muito difícil pôr versos em melodias já prontas, escolheu palavras para a obra de Villa-Lobos.

De resto, os títulos constavam de trabalhos preexistentes do poeta, como Traduzir-se e Poema obsceno. Já Bela bela entrou num espetáculo teatral, com Esther Góes e Rubens Corrêa, baseado no Poema sujo, o longo e célebre poema de GullarA letra de Meu veneno estava numa peça sobre Tiradentes que ele traduziu para o português. Gato pensa? faz parte de um livro de poemas infantis. E Borbulhas de amor, o grande sucesso da “carreira musical” de Gullar, é um caso à parte: ele fez em 1983, a pedido de Fagner, uma versão para o bolero do dominicano Juan Luis Guerra.

Músicas

O trenzinho do caipira (Villa-Lobos e Ferreira Gullar) – Edu Lobo

Traduzir-se (Fagner e Ferreira Gullar) – Fagner e Nara Leão

Onde andarás (Caetano Veloso e Ferreira Gullar) – Marisa Monte

Bela bela (Milton Nascimento e Ferreira Gullar) – Milton Nascimento

Solução de vida (Paulinho da Viola e Ferreira Gullar) – Paulinho da Viola

Poema obsceno (Moacyr Luz e Ferreira Gullar) – Moacyr Luz

Contigo (Fagner e Ferreira Gullar) – Fagner e Chico Buarque

Gato pensa? (Adriana Calcanhotto e Ferreira Gullar) – Adriana Calcanhotto

Meu veneno (Milton Nascimento e Ferreira Gullar) – Milton Nascimento

Borbulhas do amor (Juan Luis Guerra, versão de Ferreira Gullar) – Fagner

 

Seleção: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro