Uma das maiores estrelas do teatro de revista, Virgínia Lane morreu neste dia 10 de fevereiro de 2014, de falência múltipla dos órgãos, em Volta Redonda, onde estava internada. Ela completaria 94 anos no próximo dia 28.

Virgína Lane estreou na carreira artística, aos 15 anos de idade, na Rádio Mayrink Veiga, cantando no programa de César Ladeira, que a chamou de “Garota Bibelô”. Em 1943, foi trabalhar no Cassino da Urca como crooner e dançarina. Além de cantar e dançar, Virgínia era famosa por suas pernas bem torneadas.

Seu maior sucesso foi “Sassaricando”, cantado por ela na revista “Eu quero sassaricá”, de Luís Iglesias e Freire Júnior, e gravada em 1951. A marchinha criou o verbo “sassaricar”, que caiu no gosto popular em tom de malícia.

Sucesso nas rádios, no teatro de revista e também no cinema – com participação em 32 filmes -, Virgínia Lane recebeu a faixa de Vedete do Brasil das mãos do presidente Getúlio Vargas.

Músicas

Banana (Jota Júnior, Luiz Antônio e Paulo Gesta)

Cabeça de tijolo (Alfredo Monteiro e Cícero Nunes)

João Ninguém (Regis Amado e José Roberto)

Lá vem a cobra grande (Antônio Almeida e João de Barro)

Listinha de Natal (Índia e Jorge Henrique)

Mão de gato (José Roberto e Oldemar Magalhães)

Marcha da pipoca (Antônio de Carvalho e Luiz Bandeira)

Marcha do fiu-fiu (Nelson Castro e Virgínia Lane)

Vai levando (a confusão é geral) (Antônio Almeida)

Sassaricando (Luiz Antônio, Oldemar Magalhães e Zé Mário)
Pesquisa, texto e seleção musical: Carla Paes Leme

Sonorização: Filipe Di Castro