Aurora Miranda

Rio utópico

Rio utópico

A exposição #RioUtópico, em cartaz no IMS Rio, faz um mapeamento fotográfico de localidades do Rio de Janeiro cujos nomes sugerem situações utópicas. A Batuta selecionou músicas que também exploram palavras que batizam áreas da cidade, como Morro dos Prazeres e Cidade de Deus.

09.01.2018

Aurora Miranda

Boa noite, passe bem

Aurora Miranda não atingiu o estrelato de sua irmã mais velha, Carmen, mas fez enorme sucesso, especialmente na década de 1930. Esta gravação de um divertido samba de Gadé e Valfrido Silva é de 1936.

21.06.2017

Detalhe de "Festa de São João", de Heitor dos Prazeres

Músicas de junho – Balões e fogueiras

O primeiro capítulo da série sobre as músicas de festas juninas traz as origens dessa tradição e marchinhas pioneiras como Cai, cai, balão e Chegou a hora da fogueira.

04.06.2017

Pixinguinha 120 anos

Pixinguinha 120 anos

O trabalho no acervo pessoal de Pixinguinha, sob a guarda do IMS desde 2000, já resultou em quatro livros de partituras, na formação de uma orquestra e na série de programas da Batuta. Esta edição comemorativa destaca gravações relacionadas a esses projetos e músicas pouco conhecidas.

17.04.2017

Benedito Lacerda e Pixinguinha

Pixinguinha e Benedito

Benedito Lacerda foi fundamental para Pixinguinha retomar a carreira nos anos 1940, quando enfrentava dificuldades financeiras. O flautista ganhou fama de aproveitador, o que este programa defende ser injusta, além de ressaltar os caminhos que Benedito abriu na música brasileira.

05.11.2016

Pixinguinha junino

Pixinguinha junino

Os arranjos de Pixinguinha foram fundamentais para que se firmasse, nas décadas de 1930 e 1940, a tradição das marchinhas juninas. Alguns dos sucessos do gênero estão neste programa, assim como as análises sobre os arranjos altamente criativos.

04.06.2016