Ao voltar ao Brasil após anos como diplomata no exterior, Vinicius ouviu, nas proximidades do porto de Santos, Canção de amor numa voz que ainda não conhecia. Era a de Elizeth Cardoso, para sempre associada pelo poeta àquele momento emocionante. Em 1958, ele teve a felicidade de ver Elizeth, a quem apelidou de Divina, gravando um disco apenas com músicas suas e de Tom Jobim: Canção do amor demais. O registro tornou-se histórico por também contar com o violão de João Gilberto em duas faixas, dando a partida na bossa nova. Do disco, podem ser ouvidas neste programa Janelas abertas, Modinha, Estrada branca, Medo de amar, Eu não existo sem você e, claro, Chega de saudade, dentre outras.

Este documentário vai ao ar numa parceria da Rádio Batuta com a Rádio Cultura Brasil (www.culturabrasil.com.br) e a VM Cultural (www.viniciusdemoraes.com.br), que representa a família de Vinicius.