Cole Porter foi o compositor americano que mais problemas teve com a censura. Muitas de suas canções ganharam o rótulo de “proibidas”. Foram vetadas ou modificadas pelo próprio compositor. O capítulo tenta mostrar como Cole Porter se valeu do espírito libertário que começou a prevalecer entre as duas guerras mundiais para escrever tais canções. Não eram imorais, obscenas, mas ousadas para a época. Desagradavam os censores, deliciavam seus amigos, com quem fazia grandes festas em Paris e Veneza – na foto da página ele está com sua amiga Elsa Maxwell. Um exemplo é Love for sale, que só chegaria ao rádio e à TV três décadas depois de ser composta. João Máximo ainda apresenta várias que falam de sexo e drogas, algumas pouco conhecidas.

Músicas do episódio

I’m a gigolo – William Hickey

Love for sale – Pearl Bailey

Love for sale – Oscar Peterson

But in the morning no – Kaye Ballard & Ronny Graham

By the Mississiniwah – Kaye Ballard & Bibi Osterwald

I get a kick out of you – Kim Criswell

I get a kick out of you – Billy Daniels

Solomon – Elizabeth Welsh

The physician – Gertrude Lawrence

Experiment – Patricia Hodge

How could we be wrong? – Gertrude Lawrence

Love for sale – Waring’s Pennsylvanians & Three Girl Friends

Let’s do it – Leslie Hutchinson

Let’s do it  – Bunny Berigan

You’ve got that thing – Howard McGillin

Thank you so much, Mrs. Laoughsborough Goodby – Katharine Hepburn

Miss Otis regrets – Monty Wooley

 

Roteiro, texto e apresentação: João Máximo

Edição e sonorização: Filipe Di Castro