Em seus 64 anos de vida (1915 a 1979), Haroldo Barbosa, cujo centenário se completa em 21 de março, desdobrou-se em muitos: radialista, jornalista, humorista, turfista, boêmio e muitas outras coisas, entre elas compositor. Foi um dos nossos maiores versionistas, recriando canções americanas, francesas, italianas, argentinas. E também se tornou um grande letrista. Neste primeiro episódio da série de três, o jornalista João Máximo mostra sucessos de Haroldo na era de ouro da rádio, incluindo versões que fazia para Francisco Alves cantar. Em composições próprias, desagradou os americanos com Adeus, América e caiu na boca do povo com Barnabé. O programa conta com duas entrevistas: uma praticamente desconhecida, do próprio Haroldo, de 1977, e uma com sua filha, a escritora Maria Carmen Barbosa, feita especialmente para a Batuta.

Músicas

Adeus, América (Geraldo Jacques/Haroldo Barbosa) – Os Cariocas

Rosa vermelha (Ernesto Discepolo/Mariano Mores/Haroldo Barbosa) – Francisco Alves

Céu cor de rosa (Victor Herbert/Al Dubin/Haroldo Barbosa) – Francisco Alves

Quantas são? (Frank Loesser/Joseph J. Lilley/Haroldo Barbosa) – Francisco Alves e Três Marias

Se você quer ser alguém (Joe Burke/Jimmy Van Heusen/Haroldo Barbosa) – Orlando Silva e Quatro Ases e Um Coringa

Barnabé (Antônio Almeida/Haroldo Barbosa) – Emilinha Borba

 

Roteiro, texto e apresentação: João Máximo

Edição e sonorização: Filipe Di Castro