A italiana Barbara Casini era adolescente, nos anos 1960, quando ouviu João Gilberto. Ficou tão fascinada que nunca mais largou a música brasileira. Já gravou vários discos com canções de autores daqui. E voltou ao Brasil em março de 2019 para realizar mais um, apenas com composições de Novelli. Nascido em Recife e radicado há muito tempo no Rio, Djair de Barros e Silva, apelidado Novelli numa alusão à Nouvelle Vague, trabalhou muito no Clube da Esquina com Milton Nascimento e outros, inclusive o violonista e guitarrista Toninho Horta. Barbara cantou acompanhada de Toninho no CD. No estúdio da Batuta ela foi acompanhada pelo violonista italiano Beppe Fornaroli em Laranja azeda. O trabalho dedicado Novelli tem muitas participações, entre elas as de Chico Buarque e Edu Lobo.

Na entrevista a Luiz Fernando Vianna, Barbara recorda passagens de sua carreira, e o programa apresenta gravações que são exemplos de sua trajetória.

Repertório

Laranja azeda (Novelli e Cacaso) – Barbara Casini e Beppe Fornaroli no estúdio da Batuta

Basta um dia (Chico Buarque) – Barbara Casini

Falando de amor (Tom Jobim) – Barbara Casini

Drão (Gilberto Gil) – Barbara Casini

ABC do sertão (Luiz Gonzaga) – Barbara Casini

 

Apresentação: Luiz Fernando Vianna

Edição: Filipe Di Castro

Barbara Casini comenta o impacto da bossa nova e canta “Laranja azeda”.