Algumas das obras mais queridas do repertório clássico nasceram de viagens ou de temporadas em outros países, nos quais os compositores se inspiraram em sons e imagens à volta. Em seu programa de número 100 na Batuta, Arthur Dapieve apresenta cinco exemplos do que chama de cartões-postais. Um deles é Le boeuf sur le toit (“O boi no telhado”), que o francês Darius Milhaud fez após viver no Brasil entre 1917 e 1919. Há citações a 14 composições da época, de Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga e outros.

Repertório

Liszt. Annés de pèlerinage, Suisse: IX. Les cloches de Genève (5:54) – Louis Lortie (piano)

Mendelssohn. Sinfonia nº 4, Op. 90, “Italiana”: I. Allegro vivace (10:29) – Orquestra Barroco de Freiburg, regida por Pablo Heras-Casado

Dvorák. Sinfonia nº 9, Op. 95: II. Largo (12:27) – Filarmônica de Viena, regida por Herbert von Karajan

Ravel. Concerto em Sol Maior: III. Presto (3:57) – Krystian Zimerman (piano) e Orquestra de Cleveland, regida por Pierre Boulez

Milhaud. Le boeuf sur le toit, Op. 58 (16:33) – Orquestra Nacional de Lille, regida por Jean-Claude Casadesus

 

Prelúdios também é apresentado no último sábado de cada mês, às 20h, na Rádio MEC FM do Rio de Janeiro (99.3 MHz).

Apresentação: Arthur Dapieve

Edição: Filipe Di Castro