Primeiro livro de narrativa gay a fazer sucesso no Brasil, Bom crioulo (1895) tem voltado a ser assunto nas universidades e foi relançado pela editora Todavia. O professor Gilberto Araújo, da UFRJ, esmiuçou o romance de Adolfo Caminha (1867-1897) na edição de 29 de outubro do Clube de Leitura do IMS. O pioneirismo do livro não poupa o racismo, a xenofobia e uma visão moralista da homossexualidade que há nele. Bom crioulo também pode ter sido a primeira obra literária brasileira com um protagonista negro, Amaro, que é fascinado pelo adolescente Aleixo.

 

Edição: Filipe Di Castro