Nas palavras do jornalista Humberto Werneck, o livro O Encontro Marcado foi “um farol para a minha geração”. Eduardo Marciano, narrador e personagem principal do romance, funcionou como poderoso modelo existencial para os jovens dos anos 1950. E por trás desse modelo, marcado pela “velocidade e sofreguidão”, revelava-se a própria personalidade do irrequieto Fernando Sabino. Em torno desses temas girou o descontraído depoimento de Werneck, que contou com mediação de Paulo Roberto Pires.