Aos 46 anos, Jonas Kaufmann ocupa o posto de principal nome masculino do canto lírico na atualidade. Sua boa estampa ajuda, mas é a força de sua voz (de tenor mas com um registro que se aproxima do de barítono) que lhe garante o status de astro. Seus discos e suas apresentações atraem o entusiasmo do público e o respeito da crítica. Arthur Dapieve selecionou interpretações de Kaufmann para árias de Wagner, Verdi, Puccini e Beethoven. E acrescentou à lista uma peça de Richard Tauber que está num CD de operetas e filmes musicais alemães do começo do século XX

Repertório

Wagner: Allmächt’ger Vater, blick herab! (de Rienzi) – Jonas Kaufmann e Orquestra da Ópera Alemã de Berlim, sob a regência de Donald Runnicles – 9:47

Verdi: La donna è mobile (de Rigoletto) – Jonas Kaufmann e Ópera de Parma, regida por Pier Giorgio Morandi – 2:21

Puccini: O soave fanciulla (de La Bohème) – Jonas Kaufmann e Kristïne Opolais com a orquestra da Academia Nacional de Santa Cecília, regida por Sir Antonio Pappano – 4:13

Beethoven: Introduktion und Arie. Gott! Welch Dunkel hier!… In des Lebens Frühlingstagen (de Fidelio) – Jonas Kaufmann, Orquestra de Câmara Mahler e Orquestra do Festival de Lucerna, regidas por Claudio Abbado – 11:24

Schubert: Auf dem Flusse (do ciclo Winterreise) – Jonas Kaufmann e Helmut Deutsch (piano) – 3:34

Verdi: Pur ti riveggo, mia dolce Aida… – 1:19

            Nel fiero anelito di nuova guerra… – 1:46

Fuggiam gli ardori inospiti… Là, tra foreste vergini – 6:02 (três árias de Aida) –  Jonas Kaufmann e orquestra da Academia Nacional de Santa Cecília, regida por Sir Antonio Pappano

Richard Tauber: Du bist die Welt für mich (de Der singende Traum) – Jonas Kaufmann e Orquestra Sinfônica da Rádio de Berlim, regida por Jochen Rieder – 3:52

Wagner: In Treibhaus (do ciclo Wesendonck-Lieder) – Jonas Kaufmann e Orquestra da Ópera Alemã de Berlim, sob a regência de Donald Runnicles – 6:07

 

Apresentação: Arthur Dapieve

Edição e sonorização: Filipe Di Castro