Nesse programa, o poeta e tradutor Paulo Henriques Britto fala sobre um livro, pode-se dizer, “cult”  da literatura brasileira. Armadilha para Lamartine, de Carlos & Carlos Süssekind, com sua armadilha de gêneros é, sem dúvida alguma, um caso singular na literatura e para além dela. Não se tem notícia de outro diário paterno reescrito e ficcionalizado pelo filho, que se torna, desse modo, há um tempo criador e criatura dos escritos do próprio pai.