Nascida Áldima Pereira dos Santos e tendo ganhado do ator e radialista Paulo Gracindo o seu nome artístico, Áurea Martins cantou na noite e batalhou bastante. A sua discografia, de apenas dois títulos no século XX, ganhou corpo nas duas últimas décadas, estimulada pelo apoio decisivo de Hermínio Bello de Carvalho. Com Até sangrar (2008), conquistou o Prêmio da Música Brasileira de melhor cantora. Ela chega aos 80 anos, em 13 de junho, ainda menos conhecida do que poderia ser, mas aplaudida por colegas e fãs entusiasmados.

Na playlist da Batuta, predominam faixas de Até sangrar e de Iluminante (2012), mas a abertura é com uma gravação lançada em 11 de junho deste 2020, Iluminado sentimento.

O gênero principal do repertório escolhido é o samba-canção, com sua combinação de beleza e tristeza. Áurea é intérprete marcante de temas de amor.

Repertório

Iluminado sentimento (Valzinho e Ronaldo Bastos) – Áurea Martins e Cristovão Bastos (piano)

Valsa dueto (Carlos Lyra e Vinicius de Moraes) – Áurea Martins e Emílio Santiago

Alvorecer (Dona Ivone Lara e Delcio Carvalho) – Áurea Martins

Sem mais adeus (Francis Hime e Vinicius de Moraes) – Áurea Martins e Francis Hime (piano)

Até quem sabe (João Donato e Lysias Ênio) – Áurea Martins e João Donato (piano)

Cobras e lagartos (Sueli Costa e Hermínio Bello de Carvalho) – Áurea Martins

Janelas abertas (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes) – Áurea Martins

Embarcação (Francis Hime e Chico Buarque) – Áurea Martins

Maninha (Chico Buarque) – Áurea Martins e Chico Buarque

Penúltimo desejo (Vidal Assis e Hermínio Bello de Carvalho) – Áurea Martins

Isso é que é viver (Pixinguinha e Hermínio Bello de Carvalho) – Áurea Martins

Se é por falta de adeus (Antonio Carlos Jobim e Dolores Duran) – Áurea Martins e Cristovão Bastos (piano)

 

Seleção: Luiz Fernando Vianna

Edição: Filipe Di Castro