Na primeira edição da Revista da Música Popular, lançada em setembro de 1954, sob a direção de Lucio Rangel, o escritor e jornalista Paulo Mendes Campos entrevistou o compositor Ary Barroso, que revelou que o melhor compositor brasileiro, na opinião dele, era Ataulfo Alves. No bate-papo num bar do centro do Rio de Janeiro, que durou “três uísques”, como contou Mendes Campos, Ary também enumerou dez sambas que, para ele, eram de primeira qualidade. É essa seleção que a Rádio Batuta compartilha aqui.

Gosto que me enrosco (Sinhô) – Mario Reis

Ai, que saudades da Amélia (Ataulfo Alves e Mário Lago) – Ataulfo Alves e suas Pastoras

Feitiço da Vila (Noel Rosa e Vadico) – Aracy de Almeida

Favela (Hekel Tavares e Joracy Camargo) – Raul Roulien

Ai, Ioiô (Luiz Peixoto, Henrique Vogeler e Marques Porto) – Araci Cortes

Nervos de aço (Lupicínio Rodrigues) – Francisco Alves

Agora é cinza (Bide e Marçal) – Mario Reis

Se você jurar (Ismael Silva, Nilton Bastos e Francisco Alves) – Francisco Alves e Mario Reis

A fonte secou (Monsueto) – Raul Moreno

Deixa essa mulher chorar (Brancura) – Francisco Alves e Mario Reis

Pesquisa e texto: Carla Paes Leme
Edição e sonorização: Filipe Di Castro