funk

Foto de Gui Paganini e arte de Giovanni Bianco/Divulgação

O sangue bom e novo de Fernanda Abreu

O novo disco de Fernanda Abreu, a garota carioca que mantém aos 50 anos o suingue e o sangue, é uma esperança para tirar o funk da mesmice de sua obsessão sexual, aposta Joaquim Ferreira dos Santos.

04.11.2016