Jair Rodrigues

Pelé. Foto de Henri Ballot/Acervo IMS, 1958

O nome do rei é Pelé

A música celebrou de várias maneiras o maior craque do futebol: samba, marchinha, mambo, frevo, xaxado… Pelé, que completa 80 anos, aparece em canções de Ben Jor, Caetano, Gil, Chico, Moraes Moreira, Jackson do Pandeiro e muitos outros.

18.10.2020

Hermínio e Paulinho da Viola. Foto: Museu da Imagem e do Som

Hermínio, samba e choro

Hermínio Bello de Carvalho dedicou a maior parte de sua produção como compositor ao samba e ao choro. Lucas Nobile apresenta parcerias com autores diversos, entre eles Pixinguinha e Paulinho da Viola. E conta que é controversa sua prática de escrever letras para melodias de músicos já mortos.

28.03.2020

Alceu Valença

Dick Farney, Ney Matogrosso, Alceu Valença, Simonal, Elis…

De um rock de Caetano Veloso até um samba de Gilberto Gil, passando por Alceu Valença (foto), Zuza Homem de Mello passeia por samba-canção, fox-trot, música caipira e outros gêneros que conhece bem.

21.04.2017

Chico Buarque e Jair Rodrigues no festival

Capítulo 3 – A grande final

Zuza Homem de Mello encerra o especial relembrando em detalhes como A banda e Disparada foram apresentadas na final. E conta os bastidores da decisão que levou ao empate entre as duas. Ele guardou esse segredo por 37 anos, até revelá-lo em livro.

31.10.2016

Elis Regina e Jair Rodrigues, parceiros em "O fino da bossa"

Capítulo 1 – Os musicais da TV Record

Na abertura da série, Zuza Homem de Mello conta que o festival de 1966 da Record foi um desdobramento do domínio que a emissora tinha na TV quando o assunto era música. Era enorme o sucesso de O fino da bossa e Jovem Guarda.

31.10.2016

A banda x Disparada - 50 anos

A banda x Disparada – 50 anos

Zuza Homem de Mello recorda um dos festivais mais importantes da música brasileira: aquele que terminou com o empate entre “A banda” e “Disparada”. Zuza era o técnico de som da TV Record em 1966 e a ele foi confiado o segredo por trás do resultado: Chico Buarque se recusou a vencer.

31.10.2016

Jair Rodrigues

Jair Rodrigues

Cantor sem preconceitos, Jair Rodrigues brilhou em vários estilos, como num rap à frente de seu tempo e nas toadas sertanejas. Mas era, sobretudo, um sambista. A Batuta homenageia o artista, morto nesta quinta-feira, selecionando algumas de suas gravações.

08.05.2014